Diário de viagem – Parte III

04/03/2015 Diário de viagem – Parte III

Pronto, gente! Conforme prometido, volto aqui para contar mais da viagem em busca novidades gastronômicas! Mais uma vez aviso: o post é longo!

Então...! Depois da Alemanha, a segunda parada foi Dubai. Gente, no aeroporto de Dubai deveria ter escrito assim: Bem-vindos à terra da ostentação! Lá tudo é giga, master, ultra luxuoso e sempre, sempre, sempre,  o maior do mundo.  Dei uma boa passeada por lá e vou contar os destaques aqui para vocês.

Como vocês sabem, meu interesse é sempre gastronomia e, por isso, fui correndo para a Gul Food,  a maior feira no Oriente Médio para a alimentação e a indústria da hospitalidade. Lá estavam reunidos compradores, vendedores e fabricantes, distribuidores e fornecedores do mundo todo, incluindo o Brasil. De nosso as país vi muitos expositores de carne. Aí vocês devem pensar: “Uau, devia ter coisas do outro mundo”. A minha resposta é... Tinha muita coisa, mas nada de outro mundo, sabe? Achei muito legal, principalmente por causa do tamanho, mas em se tratando de novidades mesmo, nada demais.

Gul
Gul

E como o mundo é pequeno, encontrei velhos amigos do mundo encantado chocolate:

Amigos

Depois de dois dias andando neste evento gigantesco, tratei de ir conhecer outros lugares, alguns famosos, outros nem tanto. O que achei bem interessante foi que, nem mesmo nos restaurantes o consumo de bebida alcoólica é livre. Nos restaurantes dos hotéis é que isso é mais simples, mesmo assim, quando o cliente solicita uma bebidinha – um vinhozinho que seja - é preciso ir para uma salinha à parte, que não chega a ser escondida, mas é ‘separada’. 

Mas, bacana, bacana mesmo foram as visitas aos mercados de Especiarias e de Ouro, que eles chamam de Souk.  Eles ficam no bairro Deira, a parte mais antiga de Dubai e valem demais a visita! A arquitetura é belíssima e só ela já encanta. O Gold Souk é um emaranhado de bazares fascinantes, vende ouro dos mais variados quilates, que fazem os olhinhos de muita gente brilhar.

Ouro

Mas, como vocês sabem, meus olhos brilham mesmo é com outra coisa... Logo... Amei mais o Spice Souk, que é tipo um Mercado de São José (aqui do Recife) organizado e enorme. Fiquei louca com os cheiros pelas ervas e temperos orientais (canela, açafrão, vários tipos de pimenta, anis etc). Um misto de culturas e sabores vindos dos Irã, Somália, Índia e sei mais lá de onde. Fiquei louca pelo limão desidratado, ótimo para chás, e COMPLETAMENTE ensandecida pela variedade de pimentas, minha paixão eterna.

Vejam que lindezas:

Mercado


canela


sacas

baunilha
pimetas
area

Além de visitar os mercados, aproveitei que estava por lá e decidi conhecer um restaurante muito famoso por lá: o Al Muntaha, que fica no 27º andar do Hotel Al Arab, ícone da cidade.  A vista é maravilhosa, dá para ver pontos turísticos como a Ilha da Palmeira, Dubai Marina e o Jumeirah Beach. O menu é composto do que chamamos de culinária contemporânea europeia, ou simplesmente ‘cozinha internacional’.

Al

O lugar é suuuuuper chique, coisa fina mesmo. E a comida, segue a mesma linha: tudo da mais sofisticada procedência e muito gostoso mesmo. Comecei com um Terrine de Fois Gras, que veio com umas madeleines salgadas e frutinhas. O prato é lindo, muito gostoso e a apresentação é bem bacana.

Fois

Como prato principal, pedi o Angus Rib Eye, com carne importada do Canadá (Dubai não produz nada, importa de tudo!), que veio guarnecido de um purezinho, aspargos e confit de tomate. Tenro, delicioso, ponto certo! Formidável mesmo!

angus

As sobremesas também estavam divinas: provei um Profiterole com sorvete de baunilha, chantilly de café e calda de chocolate que foi tudo de bom. Outra delícia foi a taça Mont Blanc, que vem com sorvetes de castanha e baunilha, com merengue e cassis confitado. Perfeeeito!

Profit

Outro passeio interessante que fiz foi o Rali do Deserto. Sim, o passeio é meio ‘pega-turistas’, mas estamos aí para conhecer o que é novo, né?  O que eu gostei mais nem foi do Rali em si, mas da refeição que é servida quando chegamos a um oásis artificial no meio do deserto, depois de chacoalharmos 30km areia a dentro. Quando chegamos podemos fazer aquelas coisas típicas de turistas: tirar fotos com trajes locais, fazer pintura de hena nas mãos, etc, etc.

henna

O mais legal é a comida, preparada lá mesmo, a céu aberto, no mais puro estilo ‘Laurence das Arábias’: muito saboroso o cordeiro com hortelã e pão árabe. Simples e delicioso. Mas o que mais me chamou minha atenção foi um senhor que fazia uns bolinhos, muito semelhante a filhoses, que são servidos com mel. A rapidez e a prática com que ele cortava as bolinhas, todas do mesmo tamanho, me impressionaram.

filhoses

E me impressionou também como a simplicidade de um jantar, no meio do deserto, sob a luz da Lua e observados pelas estrelas, pode ser mais valioso do que todo o ouro do mundo. Luxo é isso.


Endereço

R. Joaquim Carneiro da Silva, 131 - Boa Viagem, Recife - PE, 51011-000

Telefone

(81) 3463-1450

Whatsapp

(81) 99414-4024
© 2020 Anna Corinna
Diário de viagem – Parte III - Anna Corinna - Dulce et chocolat